NaturaFish – Atividades de Aquacultura

A Viveiros da Espargueira – Atividades de Aquacultura, S.A. atua sob a marca “NaturaFish” desde 2009. É uma aquacultura de 19ha com água salgada, localizada na reserva natural do Estuário de Alvor, no Algarve.

A NaturaFish foi criada para atender à crescente procura global por aquacultura natural e sustentável, tornando-se líder em Portugal no cultivo de valiosas espécies locais, cuja procura excede os níveis de pesca biologicamente sustentáveis. Destacam-se espécies como o robalo europeu (Dicentrarchus labrax) e a dourada (Sparus aurata).

A NaturaFish tem como missão produzir robalo e dourada da mais alta qualidade do mercado, tendo em consideração os seus colaboradores, comunidade, animais e meio ambiente. Investiram substancialmente em I&D para melhorar continuamente, sem nunca comprometer a procura pelo “natural”.

Localização, experiência, tecnologia e inovação são as chaves do seu sucesso, trabalhando com a natureza, não contra ela.

BECORPORATE assessorou a elaboração da candidatura ao Programa SIFIDE, a qual foi composta por um projeto de Investigação e Desenvolvimento.

Título do Projeto: Projeto Ração Saúde Dourada e Robalo

O seguinte projetou visou, por um lado, desenvolver dietas para robalo e dourado, com níveis adequados de proteína e energia, tendo em conta as necessidades nutricionais da espécie, promovendo a integridade intestinal e a resistência às doenças, de forma a obter melhorias no crescimento e FCR. Por outro lado, visou estudar a qualidade sensorial do pescado cultivado com diferentes níveis de inclusão e diferentes combinações de ração, de modo a compreender a relação entre as propriedades organoléticas, sensoriais e zootécnicas da dourada e a sua alimentação.

SIFIDE – Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial

O SIFIDE visa aumentar a competitividade das empresas apoiando o seu esforço em Investigação & Desenvolvimento através da dedução à coleta do IRC de uma percentagem das respetivas despesas de I&D.

Quem pode candidatar-se?

Todos os sujeitos passivos de IRC que exerçam, a título principal, uma atividade de natureza agrícola, industrial, comercial e de serviços podem concorrer a este sistema de apoios desde que preencham cumulativamente duas condições: o lucro tributável não seja determinado por métodos indiretos e que não sejam devedores à Autoridade Tributária e à Segurança Social.

Qual o valor da dedução?

Para o corrente ano, as taxas em vigor são:

a) Taxa base – 32,50% das despesas realizadas no ano da candidatura

b) Taxa incremental – 50% do aumento desta despesa em relação à média dos 2 anos anteriores, até ao limite de 1,5 milhões de euros

* No primeiro ano o valor da dedução pode ascender a 82,5% das despesas com I&D incorridas.

Verifique outros projetos aprovados na linha em questão:

Palavras-Chave Título do Projeto:

Viveiros da Espargueira / NaturaFish / SIFIDE / Candidatura / Incentivos / I&D / Piscicultura

Mais Portfólio

Área Investidores

Antes de submeter o formulário, consulte o nosso portfolio, onde também poderá encontrar o tipo de projetos que temos em carteira.

Caso identifique algum projeto que se enquadre no seu perfil de investidor, dê-nos a indicação, preenchendo os campos abaixo.

Centro de Resolução de Litígios

Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a um Centro de Resolução de Litígios de consumo:

CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo – www.​cniacc.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra – www.​centrodearbitragemdecoimbra.com

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa – www.​centroarbitragemlisboa.pt

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo da Região Autónoma da Madeira – www.​madeira.gov.pt/cacc

Centro de Informação e Arbitragem do Porto – www.​cicap.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Ave – www.​triave.pt

Centro de Informação e Arbitragem do Vale do Cávado – www.​ciab.pt

Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Algarve – www.​consumidoronline.pt/pt/

Para atualizações e mais informações, consulte o Portal do Consumidor em www.​consumidor.pt

(ao abrigo do artigo 18.º da Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro)